Conversa com Thomaz

terça-feira, 4 de outubro de 2022

Tag: Democracia

João Pedro relembra golpe militar de 1964

João Pedro relembra golpe militar de 1964

Brasil
O pré-candidato ao governo do estado do Amazonas pelo PT, João Pedro, relembrou, em suas redes sociais, o golpe militar de 1964, ele publicou "Há 58 anos o Brasil sofria um golpe militar.Com o golpe de 1964, os militares brasileiros usurparam o poder e amordaçaram a nossa democracia.Apoiados pelo Estados Unidos, perseguiram, prenderam, torturaram e mataram.Foram 432 pessoas mortas ou desaparecidas.Além disso, exílio, censura e corrupção foram o legado desse triste período da história brasileira. João Pedro #DitaduraNuncaMais" Imagem: Divulgação
João Pedro contando e fazendo história na política brasileira!

João Pedro contando e fazendo história na política brasileira!

Personalidade
(Imagem: Thomaz Antonio Barbosa) No quadro PERSONALIDADE de hoje, domingo, 01/08, apresentamos João Pedro Gonçalves, amazonense de Parintins, ex-vereador de Manaus, ex-deputado estadual e senador da República, no período 2007 a 2011. Ele esteve em nossa redação para falar sobre o Brasil de ontem e o de agora. No momento se dedica a escrever um livro, onde conta histórias do cenário político do Amazonas e do país, principalmente, nas décadas de 1980 e 1990. Um dos principais personagens da esquerda do estado do Amazonas, o petista não se contém em falar de sua obra que, segundo ele, busca mostrar um pouco do período da redemocratização do país, as lutas políticas e sociais nas últimas décadas do século 20: "Estou escrevendo um livro, contando sobre a juventude da década de 1980...
Quando um gesto vale mais que mil palavras

Quando um gesto vale mais que mil palavras

Opinião
Thomaz Antonio Barbosa Quem esteve nesse sábado, 03, na Praça da Saudade, em Manaus, viveu um dos momentos mais significativos do período pandêmico e da cena política brasileira. De repente as velas acesas começaram a iluminar o chão da praça. Abrandaram-se os sons dos microfones, da buzina dos carros, dos bares, das pessoas entusiasmadas. Quem não tinha lagrimas nos olhos, sentia entalar a garganta, quem não tinha uma faixa ou um cartaz nas mãos, trazia consigo a angústia no peito. A sensação era de silêncio, mas era dor que imperava. Em plena tarde de protestos contra o governo Bolsonaro a Praça chorou de dor e disse o nome dos seus mortos. O movimento #3jforabolsonaro, em Manaus, prestou uma das mais belas homenagem às vítimas da Covid-19. Minutos depois quando as...
Para onde vai o Brasil dividido de Bolsonaro…!

Para onde vai o Brasil dividido de Bolsonaro…!

Na Hora do Jantar
Por Thomaz Antonio Barbosa Bolsonaro agiu rápido e antes do pedido de demissão coletiva, exonerou os generais. Antagônicos à politização dos quartéis, os três alegaram sair do governo por não aceitarem contrariar a Consiução Federal. O que não se pode negar é que a crise entre os militares causou uma celeuma absurda no governo, o tudo ou nada de Jair Bolsonaro dividiu as forças armadas, assustou o mercado e a população. A obsessão do presidente por intervir nos estados, para ele a salvação do seu governo decadente, tem causado desconfiança nos empresários, fazendo aumentar o risco político e, inversamente, as expectativas de melhorias no panorama nacional diminuem aceleradamente. Contrariando a escrita, quando há competição eleitoral o pais tende a melhorar, pois o go...
Fracassa tentativa de aumentar poder de Bolsonaro

Fracassa tentativa de aumentar poder de Bolsonaro

Política
O líder do PSL na Câmara dos Deputados, Vitor Hugo (GO), defendeu nesta terça-feira (30), em reunião de líderes partidários, a votação no plenário de um projeto de lei que, se aprovado, daria ao presidente Jair Bolsonaro o poder de acionar, durante a pandemia, o dispositivo da chamada "mobilização nacional".O mecanismo de mobilização nacional é previsto na Constituição e foi regulamentado em lei específica para o caso de agressão estrangeira. Pelo projeto, a crise na saúde pública poderia ser usada como motivo para a mobilização.Na prática, o texto estabelece que, nesse caso, o chefe do Executivo poderá tomar medidas que incluem, entre outras, a intervenção nos fatores de produção públicos e privados; a requisição e a ocupação de bens e serviços; e a convocação de civis e militares pa...
Alberto Neto e delegado Pablo votam a favor de Daniel Silveira

Alberto Neto e delegado Pablo votam a favor de Daniel Silveira

Na Hora do Café
Os deputados federais do Amazonas, capitão Alberto Neto e o delegado Pablo, foram os únicos da bancada do estado a votaram a favor de Daniel Silveira, da sua saída da prisão. Aliados de Bolsonaro os dois engrossaram o rol dos 130 parlamentares que defenderam o deputado carioca em relação ao episódio onde ele faz apologia ao AI-5 e diz cobras e lagartos contra o STF e seus membros. A Câmara Federal manteve a prisão do deputado Daniel Silveira com 340 votos favoráveis, dando prosseguimento ao processo de cassação do seu mandato. Os demais parlamentares do Amazonas se mantiveram com a maioria. A votação aconteceu no inicio da noite dessa sexta-feira, 19/02, além dos 340 votos a favor da manutenção de Daniel Silveira na cadeia, 130 pela sua liberdade, ainda tiveram ainda 03 abst...
Lá vem o Brasil descendo a ladeira

Lá vem o Brasil descendo a ladeira

Opinião, Sem Categoria
O STF não pode ser arbitrário, mas desde quando um deputado federal não deve ser preso porque isso seria rasgar a Constituição? É preciso saber a cor do gato, analisar a materialidade do fato e não as prerrogativas do mandato legislativo. Seria facil se esconder por trás de um diploma popular para cometer abusos contra as instituições nacionais. O Brasil precisa entender o que é liberdade de expressão e para que serve a imunidade parlamentar. Vivemos novos tempos e cabe mesmo ao STF acudir a nossa combalida ordem democrática, quando couber. O certo ou errado sobre o aporte constitucional é função judiciária, bem como, as disposições contrárias, sem se perder de vista a isonomia e a harmonia entre os poderes. ...Que a justiça prevaleça, ela é o farol da democraci...
Adeus,  Trump, o mundo volta ao normal!

Adeus, Trump, o mundo volta ao normal!

Giro de Notícias
Democrata Joe Biden assumirá a presidência dos EUA às 14h (horário de Brasília) em cerimônia cercada de segurança e sem a presença de Trump. O ex-presidente Barack Obama, Hilary e o também ex-presidente Bil Clinton foram os primeiros a chegar. o evento terá um dos maiores esquemas de segurança da história americana e contará com um contingente militar maior do que os EUA tem no Afeganistão e no Iraque. Horas antes da posse Biden anunciou o retorno dos EUA ao acordo do Clima de Paris e à OMS, além de revogar outras medidas desastrosas de Trump. O mundo começa voltar ao normal, nesta quarta-feira, 20/01, histórica para a democracia e a paz universal. Leia mais: https://g1.globo.com/mundo Foto: Carlos Barria/Reuters
Sem credibilidade para tomar decisões Wilson Lima vê o povo intervir no governo

Sem credibilidade para tomar decisões Wilson Lima vê o povo intervir no governo

Na Hora do Café
Por Thomaz Antonio Barbosa Democracia se faz com participação popular, isso os governantes precisam aprender, pois quem elege manda. Sem saber dessa e de outras lições que permeiam a função de governar, o governador Wilson Lima, lança em pleno final de ano, um decreto – necessário, mas atabalhoado – cerrando as atividades do comércio no Estado do Amazonas. Na região metropolitana a negação foi imediata dos prefeitos de Itacoatiara e Manacapuru. Na capital os comerciantes foram além, tomaram as ruas do centro, contaminando os bairros e em poucas horas o governador estava sitiado em sua mansão, paga com verba pública. O decreto caiu, ruindo o já corroído governo de Wilson Lima, o estagiário em chefe. Ninguém mais do que a população sofre as consequências da pandemia e somente e...
Biden bate recorde histórico de Obama nas eleições americanas

Biden bate recorde histórico de Obama nas eleições americanas

Política
O candidato democrata Joe Biden ultrapassou, na contagem de votos das eleições presidenciais americanas nesta quarta-feira (4), o recorde de votos já recebidos por um candidato na história eleitoral dos Estados Unidos. O ex-presidente Barack Obama, de quem Biden foi vice, detinha o recorde anterior. Segundo a agência de notícias americana Associated Press, Biden tinha recebido, até as 15h (horário de Brasília) de quarta-feira, 70.005.562 de votos, o equivalente a 50,16% dos votos já apurados. O recorde anterior, de 2008, foram os 69.498.516 votos dados a Barack Obama. O voto nos Estados Unidos, diferente do Brasil, não é obrigatório. Colégio eleitoral É importante lembrar, no entanto, que, nas eleições americanas, não basta ter a maioria do voto popular para vencer, como n...