Conversa com Thomaz

quinta-feira, 18 de abril de 2024

Caverna do Maroaga, um paraíso encantado em pleno Amazonas

Por Thomaz Antonio Barbosa

Visitar a Caverna do Maroaga é uma privilégio de poucos, recomendado a todos. O percurso é por terra, saindo de Manaus, a partir do fim do perímetro urbano,  a BR-174 começa a revelar uma paisagem de rara beleza.

A rodovia é trafegável em todo o trajeto, com boa conservação, onde a natureza é o cenário ao redor, predominando o barulho  das as aves e o cheiro da floresta.

Sem pressa, em menos de uma hora chegamos a estrada de Balbina, à direita da rodovia principal, e seguindo adiante, do mesmo lado, está a estação de entrada na Caverna, um lugar cheio de mistérios, lendas e história, um encantamento no coração da floresta amazônica.

Fizemos a parada, recebemos a bota e o cajado e as instruções para penetrar na floresta, chovia, era mês de abril, o que torna a selva ainda mais enigmática, bela e assustadora. Percorremos a trilha encharcados, em meio à sapopemas, galhos e cipós, absorvidos pelo cheiro de óleos, frutos, flores e seivas que brotam das árvores.

É a terra de sua majestade o Galo da Serra, recluso por preciosiosismo ao seu aposento real. A autoridade do lugar não veio cumprimentar o reles viajante. Não importa, ele permitiu que visitasse seu palácio.

A Caverna do Maroaga conta a história do cacique do povo Waimiri-Atroari, que fugindo da perseguição dos militares do Exército Brasileiro na batalha pela não construção da BR-174, teria se escondido no lugar para escapar da morte, portanto, hoje toda a reserva, com seu conjunto de belezas, leva o nome do líder indígena.

Enfim, enfrentando as adversidades do ambiente, avistamos a queda d’água descortinando a gruta. É emblemático como a natureza molda a face do planeta, constrói, aperfeiçoa, contribuição com a criação todos os dias.

Nada a fazer além de observar a soberba da natureza desfilando imponente,  a água varando a pedra, vencendo precipícios. O paraíso estava ali diante de meus olhos, o Criador falando com suas criaturas, em pleno processo criacionário.

Então,  entrei na gruta, uma experiência que não se descreve!

Saímos do santuário aprimorados por aquele lapso de tempo, deixamos a floresta intacta, entrei no carro, peguei o percurso de volta para Manaus, ainda chovia, a água limpava a floresta dos nossos resíduos e se preparava para viver seus bilhares de anos, moldando a crosta indecifrável do planeta!

A estrada estava limpa, a cidade era logo ali, a Caverna ficava para trás, com seus enigmas e histórias. A terra está viva, respira e fala com seus filhos; o velho Maroaga e sua resistência irão permanecer marcados nos paredões de pedra que a natureza desenha um ppuco cada dia.

Serviço

O quê: Área de Proteção Ambiental (APA) Caverna do Maroaga,

Onde: localizada no município de Presidente Figueiredo, distante 117 quilômetros de Manaus.

Quanto custa:  R$ 30,00 por pessoa

Contato: +55 (92) 9394-0909

Lucivaldo, guia local.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *