Conversa com Thomaz

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2024

Pastores estão orientando indígenas a não se vacinarem, relatam lideranças.

Em reportagem publicada pela UOl nessa sexta-feira, 29, há informação de que pastores estão orientando indígenas a não se imunizarem sob o argumento de que a vacina não é de Deus e que eles não são cobaias, pois a vacina fora produzida muito rapidamente.

As lideranças relatam que a recusa em aceitar a vacina são no Maranhão, Rondônia e Amazonas, sobretudo nas comunidades isoladas do vale do Javari.

“Eles [líderes evangélicos] estão dizendo que [a vacina] vem junto com um chip, que tem o número da besta, que vira jacaré?”, conta uma assistente social que conversou com a DW Brasil e que prefere não ter seu nome revelado nesta reportagem.


‘Vacina não é de Deus’ no Amazonas

A reportagem diz ainda que no estado do Amazonas, onde falta inclusive oxigênio, “há pastores orientando os parentes [como indígenas se chamam] para que não tomem a vacina, porque ‘não é de Deus'”, afirma Nara Baré, coordenadora-geral da Coiab (Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira), mencionando casos relatados em Itacoatiara, região do rio Urubu, Manaus, Xingu (Mato Grosso) e Rondônia.

Segundo ela: “a grande questão é que os que são seguidores dessas igrejas não falam. São os familiares desses parentes que contam porque eles estão muito preocupados”, detalha.

Na região do Vale do Javari, que tem a maior concentração de povos isolados do mundo, a situação se repete, segundo Beto Marubo, da Unijava (União dos Povos Indígenas do Vale do Javari). “Aldeias já disseram à Sesai que não irão aceitar a vacina”, conta.

As comunidades resistentes seriam aquelas vinculadas a grupos evangélicos. “Na comunicação que eles fazem por rádio, que todas as aldeias escutam, eles dizem que a vacina foi fabricada muito rápido para os indígenas virarem cobaia”, explica Marubo.

A postura desses religiosos, analisa Nara Baré, está alinhado ao discurso do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante a pandemia.

“Ele fala mal da vacina, deslegitima a própria ciência. E a gente agora está fazendo uma campanha para incentivar a vacinação e combater as fake news e essa propagação pelos pastores”, afirma

Leia mais: https://noticias.uol.com.br/saude/ (Por Nádia Pontes)

Foto: Bruno Kelly/Reuters, 14 /05/ 2020, (Indígena participando do funeral de Messias Kokama, em Manaus)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *