Conversa com Thomaz

sábado, 13 de julho de 2024

Prefeito de Manaus diz não saber de determinação do TCU para responder se houve pressão para usar cloroquina em pacientes de Covid-19

O prefeito de Manaus, David Almeida, disse nesta quarta-feira (10), que ainda não está sabendo sobre uma determinação do Tribunal de Contas da União (TCU), que pediu que a prefeitura da capital informasse se houve ou não pressão do Ministério da Saúde para o uso de medicamentos em um tratamento precoce contra a Covid-19.

A determinação foi do ministro Benjamin Zymler, encaminhada à Secretaria de Saúde de Manaus, para saber se o Ministério da Saúde pressionou o órgão a tratar pacientes com coronavírus com os remédios cloroquina, hidroxicloroquina e ivermectina. Os três medicamentos são ineficazes para o combate à doença, de acordo com estudos científicos realizados no Brasil e no exterior.

“Eu ainda não soube sobre essa questão, mas nós não trabalhamos com tratamento precoce. Nós trabalhamos com o tratamento no início dos sintomas”, explicou.

Segundo Almeida, a única coisa que a Prefeitura fez foi orientar os pacientes infectados com a doença a procurar atendimento logo no início dos sintomas, a fim de evitar o agravamento dos quadros.

“Quando nós entramos na prefeitura o que se detectou nas nossas unidades de saúde era que as pessoas estavam procurando as nossas UBSs no oitavo, décimo dia [da doença], onde a unidade já não podia tratá-las. E aí nós fizemos uma propaganda que dizia para as pessoas não esperassem sentir falta de ar, mas nos primeiros sintomas procurasse uma UBS e fizesse o teste e já iniciava o tratamento”.

Leia mais: G1 AM

Imagem: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *