O mundo perde Thiago de Mello

Amazonense, de Barreirinha, Amadeu Thiago de Mello faleceu neste dia 14 de janeiro, chuvoso.
Considerado um dos poetas mais influentes e respeitados do país, foi uma das maiores expressões da literatura do Amazonas.

Perseguido durante os anos de chumbo, a ditadura militar (1964-1985), Thiago foi preso e exilado no Chile por longos dez anos, período em que conheceu Pablo Neruda, em virtude da amizade acabaram se tornando um tradutor da obra do outro.

Suas obras mais conhecidas são “Faz escuro, mas eu canto” (1965), “A canção do amor armado”, (1966); “Poesia comprometida com a minha e a tua vida”, (1975);
“Os estatutos do homem”, (1977); e Mormaço da floresta (1984).

Ganhou projeção internacional no de 1975 com o livro “Poesia comprometida com a minha e a tua vida”, onde foi premiado pela Associação Paulista dos Críticos de Arte.

Thiago de Mello também morou na Argentina, em Portugal, Alemanha e França.

O velório será realizado no Centro Cultural Palácio Rio Negro, na Avenida Sete de Setembro, 1546, Centro de Manaus, capital do Amazonas.

Imagem: Rodrigo Sombra / Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *